A estratégia em prática: conheça o modelo integrado dos 5P’s

A prática elucida a teoria. De um lado, há muitos livros que abordam sobre estratégia. Por outro, há uma lacuna de literatura que mostre uma orientação clara para uma implementação estratégica. E é neste momento em que a maioria dos esforços de planejamento fracassam.

Uma das razões é a compreensão separada de domínios como gestão estratégica, gestão por processos e gestão por competências. A própria universidade tende a organizar o conhecimento de forma segmentada. Disciplinarmente.

Gestores falham na execução de estratégias. Por conta disso, pesquisadores da Universidade do Texas criaram uma metodologia integrada para pôr em prática o planejamento estratégico. E o melhor: sem incorrer nos riscos da segmentação.

Esta é a proposta do Modelo 5P’s de Implementação Estratégica, criado por Mildred Golden Pryor, Donna Anderson, Leslie Toombs e John H. Humphreys.

“A implementação da estratégia deve levar em conta o elementos inexoravelmente interligados, como cultura, organização, pessoas e sistemas. Também concordamos que é preciso ir além da verborragia para um esboço mais abrangente e detalhado para ajudar os responsáveis pela execução estratégica. Por isso, propomos uma interpretação ampla e orientada para este processo – o modelo 5P’s de implementação da estratégia.” – Pryor, Anderson, Toombs e Humphreys

A metodologia reúne cinco variáveis para melhorar as organizações e suas operações:

  • Purpose (Propósito)
  • Principles (Princípios)
  • Processes (Processos)
  • People (Pessoas)
  • Performance (Desempenho)

A reunião dessas disciplinas de negócios busca aumentar a efetividade das estratégias. De modo interdependente, como sugerem as setas do gráfico anterior, cada eixo reúne um conjunto de campos do conhecimento:

  • Purpose (Propósito)

Teorias da estratégia

  • Principles (Princípios)

Valores e teorias da cultura organizacional

  • Process (Processos)

Teorias dos sistemas

  • People (Pessoas)

Teorias comportamentais

  • Performance (Desempenho)

Teorias de medição e feedback

Neste artigo em específico, destrincho o Modelo 5P’s de Implementação Estratégica. Se você gosta desta temática, leia também esta análise sobre o Modelo 5P’s e os reflexos da pandemia na gestão.

Propósito

Qual é o objetivo estratégico da sua organização?

A resposta para essa pergunta definirá o seu propósito.

Em outras palavras, os gestores devem estabelecer o norte para onde querem caminhar.

Para isso, devem tanto:

  1. Analisar os objetivos gerais da organização
  2. Desenhar estratégias e táticas pontuais para alcançá-los

Este eixo considera:

  • Os fatores críticos para o sucesso
  • As competências de liderança
  • Os diferenciais competitivos

Em um movimento cíclico, em torno do propósito temos:

  • Missão
  • Visão
  • Valores
  • Objetivos
  • Estratégicas
  • Táticas
  • Medição dos resultados
  • Análise SWOT

Princípios

As regras de conduta e os norteadores de condução dos negócios formam os princípios da organização. Eles são as referências éticas e morais para as quais os colaboradores devem se comprometer.

Os valores definidos não devem ficar somente no papel. Eles precisam refletir na operação da organização, sobretudo nos processos de negócio.

Nos Princípios, os autores elencaram de modo cíclico:

  • Filosofia
  • Atitude
  • Ética
  • Base de integridade
  • Guias de operação
  • Acordos sobre comportamento
  • Principais valores compartilhados

De acordo com os autores, os princípios se conectam com os processos, como mostra o gráfico a seguir.

Processos

A visão tradicional define um processo como um conjunto de etapas. Os recursos seriam pessoas, materiais, máquinas e métodos, que se transformam em produtos e serviços.

Uma visão maquínica.

Já os autores advogam por um modelo de processo que inclua elementos como:

  • Responsabilidade
  • Controles
  • Prestação de contas
  • Autoridade

Neste ponto em específico que se destaca a importância dos donos dos processos: os colaboradores.

Um bom mapeamento facilita o trabalho de documentação, gerenciamento e melhoria. Uma dica é utilizar fluxogramas, com definição de responsáveis por etapas.

A Interact conta com um software gratuito para criação e análise de processos: o Interact Flow. A plataforma disponibiliza uma série de templates, para você já sair usando.

Pessoas

Para o modelo 5P’s, nesta categoria estão incluídos:

  • Colaboradores
  • Clientes
  • Fornecedores da organização

As pessoas são os donos dos processos de negócios. Estes devem trabalhar com base nos princípios. O objetivo é atingir o propósito organizacional.

Uma comunicação efetiva entre pessoas requer um sentimento de pertencimento aos processos. E sem uma estratégia, colaboradores não vão entregar a qualidade esperada pelos stakeholders.

Para os autores, a ideia de donos de processos causa controvérsia para os encarregados da execução. O motivo? A implementação da estratégia é comumente considerada como tarefa do líder da organização. “Estratégia? Não é comigo.”

Essa ideia romantizada de liderança, quase um herói, acaba desperdiçando o esforço dos colaboradores. Estes, sim, são os reais atores da implementação da estratégia.

Em um cenário ideal, cada colaborador terá compreensão de sua função. Com isso, líderes podem alinhar propósito, princípios e processos em busca do alto desempenho.

Abaixo, apresento o modelo visual dos autores, que reúne:

  • Stakeholders dos processos
  • Donos dos processos
  • Líderes da organização

No centro, as pessoas são descritas como:

  • Times
  • Consumidores internos
  • Consumidores externos
  • Fornecedores internos
  • Fornecedores externos
  • Fortalecimento e indivíduos

Performance

Métricas, medições e resultados esperados.

Juntos eles vão sinalizar o status da organização, garantir o controle estratégico e a tomada de decisão dos gestores.

Para os pesquisadores, medidas de controle devem agilizar iniciativas de melhoria contínua. As medições devem auxiliar os donos dos processos a entender duas nuances:

  1. O desempenho atual da empresa
  2. Onde podem ser melhorados
“O progresso e a realização podem ser apreciados em termos qualitativos e quantitativos. Esses dois tipos de medidas estão interligados – eles esclarecem um ao outro – e ambos são necessários para iluminar de que maneira e até que ponto as vidas estão sendo mudadas” – Peter Drucker

Se os resultados das melhorias forem positivos, isso é um sinal de que as alterações estão funcionando. Se forem negativos, podem sinalizar onde existem fraquezas na organização.

Nesse momento os líderes devem reunir as equipes para encontrar a melhor solução para o problema. Uma análise crítica é uma boa saída.

O modelo visual da performance reúne:

  • Key Performance Indicators (KPIs)
  • Balanced Scorecard
  • Linhas de base
  • Alvo
  • Comparação com o alvo
  • Benchmarking

Autor:

Vinícius Flôres

Jornalista, doutor em Comunicação e entusiasta martech. Supervisor de Comunicação e Marketing da Interact Solutions.

 

Referências

DRUCKER, Peter. As Cinco Perguntas Essenciais que Você Sempre Deverá Fazer Sobre Sua Empresa. Campus Elsevier: Rio de Janeiro, 2008.

PRYOR, Mildred Golden; ANDERSON, Donna; TOOMBS, Leslie; HUMPHREYS, John. Strategic Implementation as a Core Competency: The 5P’s Model. Journal of Management Research. Vol. 7, n. 1, April 2007.

Compartilhe

Quer receber conteúdos
de gestão?

Assine agora mesmo a nossa newsletter